Geral

Presidente da Sanesul diz que questão do emissário no Rio Paraná está ‘politizada’; integrantes do SOS Rio Paraná rebatem

Camila Helem
30/07/2020
445

Aparecida do Taboado (MS) – O movimento contra a instalação do emissário de esgoto no Rio Paraná, que se arrasta há 7 anos no município e ganhou força em 2019 após a criação do grupo SOS Rio Paraná, foi taxado de “questão política” pelo presidente da Sanesul, Walter B. Carneiro Junior.

O presidente da estatal afirmou nesta quarta-feira (29), em entrevista ao vivo ao jornalista Ricardo Ojeda, do Perfil News de Três Lagoas, que “nós temos que parar de politizar. Temos que separar política da questão técnica que é o esgotamento sanitário”, desmoralizando subjetivamente os atos realizados pelo grupo que é contra o projeto apresentado pela Sanesul e se opõe, principalmente, à área escolhida para o escoamento do esgoto coletado considerada de balneabilidade e interesse turístico do município.

Walter, no entanto, garantiu que a Sanesul trata 100% do esgoto que ela coleta, “nós somos referência no Brasil. A Sanesul é a 4ª melhor companhia do país. Temos ISO 9001 nas nossas estações de tratamento de esgoto”, disse ele, voltando a dizer: “nós temos que parar com política local. Não podemos deixar o processo político contaminar o trabalho sério que a Sanesul faz há mais de 42 anos no Estado de Mato Grosso do Sul”.

O diretor ainda frisou que a empresa participou de audiências públicas referentes ao assunto, tanto em Aparecida do Taboado quanto no Congresso Nacional, destacando que a Sanesul resolveu o que ele chamou de ‘problema histórico’ no município, “há décadas atrás o esgoto era jogado no Córrego Rondinha, um córrego de pequena capacidade de diluição e expressão desse esgoto. Nós fizemos um emissário de mais de 7km para levar [esgoto] a 350m dentro do Rio Paraná. Lá, [o projeto] está certificado por todos os órgãos de licença ambiental”, citando o Imasul e a Agência Nacional de Águas.

Walter ainda afirmou que todos os municípios que margeiam o Rio Paraná jogam esgoto nele, “é uma verdade. Agora tem que ver em que condições este esgoto retorna para o corpo receptor, que é o Rio Paraná, e em que condições as análises laboratoriais demonstram a eficiência do tratamento”.

A entrevista repercutiu em Aparecida do Taboado e vários integrantes da comissão SOS Rio Paraná repudiaram a fala do presidente da Sanesul e se manifestaram. Pedro Queiroz, um dos militantes mais antigos na causa, escreveu: “o Sr. Walter, presidente da Sanesul, foi infeliz em afirmar que em Aparecida a questão é política. Tenha dó Sr. Presidente! Essa questão vem desde 2013. A ação civil pública é de maio/2018. Eu não sou candidato e nem sou filiado a qualquer partido. O fato de questionarmos o prefeito é porque não se mostrou, em qualquer momento, favorável à nossa causa. Sofre pressão nossa, sim. Mas nada a ver com política partidária. Acho natural que tenhamos em nosso grupo candidatos a prefeito e vereadores, mas não misturamos os assuntos, a questão não é política. O Sr. Walter está mal informado. Entendo que deveria se retratar”.

Já Wilson Blini reconheceu que a própria ação do grupo é política, mas não partidária, e lamentou as falas de Walter, “o diretor da Sanesul não tem autoridade moral para demonizar a política, aliás, só é presidente da estatal por indicação política. É óbvio que o grupo SOS Paraná é uma ação política de cidadãos aparecidenses em busca de evitar danos ao Rio, ação referendada em audiência pública. Existe forma mais legítima do exercício da política pelos cidadãos? Se a "quarta melhor empresa de saneamento" foi capaz de matar o córrego Rondinha, o que não fazem as demais empresas? Infelizmente a fiscalização da qualidade dos serviços prestados pelo saneador não está sob controle dos usuários o que por aí só descredencia o ranking citado pelo diretor. Lamentável a falta de sensibilidade com a causa ambiental”.

A última ação do grupo SOS Rio Paraná aconteceu no dia 4 de março, pouco antes do início da pandemia, onde uma comissão formada por integrantes do grupo junto com representantes do Poder Público de Aparecida do Taboado participaram de audiência pública no Senado, na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), sobre o impacto do emissário de esgoto instalado pela Sanesul às margens do Rio Paraná. A audiência foi solicitada pela senadora Soraya Thronicke (PSL-MS), presidente da CRA, ao tomar ciência do movimento articulado por integrantes do SOS Rio Paraná.

 

Notícias Relacionadas

Portal Costa Leste News

Portal de notícias de Aparecida do Taboado, Selvíria, Paranaíba e Inocência. Saiba tudo sobre o cenário político, econômico, turístico, cultural e policial da região Costa Leste de Mato Grosso do Sul.

Registration Login
Registration Login
A password will be send on your post
Registration Login
Registration
Sobre o site

Política de Privacidade

A Política de Privacidade foi criada para reafirmar o compromisso do Costa Leste News com a segurança e a privacidade dos seus usuários de seus serviços “on-line”.

O “site” do Costa Leste News foi criado e desenvolvido de forma a assegurar que a privacidade “on-line” de seus usuários seja respeitada e os dados e informações pessoais devidamente protegidos, não sendo revelados a terceiros. Em nenhuma circunstância vendemos, alugamos ou trocamos informações pessoais.

O Costa Leste News adverte que nenhum armazenamento ou transmissão de dados na Internet é totalmente seguro, porém exerce todos os esforços para resguardar as informações coletadas dos usuários.

O Costa Leste News se compromete em manter a integridade das informações que nos forem fornecidas.

O Costa Leste News se reserva o direito de alterar sua política de privacidade, no todo ou em parte, mediante comunicação aos seus usuários, através desta página.

Termos de Uso

O material disponibilizado neste site é de caráter exclusivamente informativo e a utilização deste conteúdo é de inteira responsabilidade do usuário.

O Costa Leste News poderá modificar a forma e o conteúdo, bem como suspender ou cancelar, a seu exclusivo critério, a qualquer tempo, quaisquer dos serviços, utilidades, produtos ou aplicações disponibilizadas no site.

As informações disponíveis no site poderão ser atualizadas ou modificadas periodicamente e não devem ser interpretadas como definitivas.

O Costa Leste News empregará com afinco seus melhores esforços no sentido de conservar as informações e conteúdos contidos neste site de forma precisa, atualizada e completa quanto possível.

O Costa Leste News ou seus parceiros não poderão ser responsabilizados por qualquer perda ou dano, direto ou indireto, que decorram de:

O conteúdo, fotografias, marcas, títulos, sons, vídeos, dados, gráficos, tabelas, séries históricas e serviços oferecidos por meio do site são de propriedade do Costa Leste News ou de parceiros, não sendo autorizado sua reprodução, transmissão, exploração, armazenamento ou qualquer tipo de uso. O usuário assume toda e qualquer responsabilidade, de caráter civil e/ou criminal, pela utilização indevida de todo e qualquer material do site.

Em caso de utilização do conteúdo do site com a devida autorização, deverá constar como crédito: Costa Leste News. A inobservância do crédito acarretará na imediata revogação da autorização.

O site e seus serviços estão sujeitos a eventuais problemas de interrupção, falha técnica, ou indisponibilidade de funcionamento temporário.

O Costa Leste News estará isento de qualquer responsabilidade pelos danos e prejuízos de toda natureza que possam decorrer de falta de disponibilidade ou de continuidade do funcionamento do site e dos serviços.

Comentários:

O conteúdo dos comentários publicados no site é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do usuário e/ou visitante cadastrado. O Costa Leste News não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente das opiniões e comentários efetuados por terceiros.

Os comentários publicados, porém, serão pós-moderados e o Costa Leste News poderá, a qualquer tempo e a seu critério, excluir, parcial ou integralmente, qualquer texto que infrinja as normas legais ou as regras deste termo de uso, ou ainda em decorrência de denúncias, sem que isto gere qualquer responsabilidade ao Costa Leste News ou direito ao usuário e/ou visitante cadastrado.

Os comentários não devem conter mensagens publicitárias, material pornográfico, grosseiro, racista ou ofensivo; informações sobre atividades ilegais e incitação ao crime; material calunioso; afirmações injuriosas ou difamatórias.

É proibido publicar qualquer material protegido por direitos autorias, sem a devida autorização do autor ou seu representante.

Se por mais de uma vez forem descumpridas quaisquer das regras expostas ou for verificado o exercício ilegal, o usuário e/ou visitante terá sua permissão de comentários cancelada.

A qualquer tempo e de maneira unilateral, o Costa Leste News poderá cancelar o sistema de comentários sem necessidade de aviso prévio.

Forma de acesso aos comentários:

Para se habilitar a fazer comentários no site do Costa Leste News, o usuário terá de preencher um cadastro fornecendo informações verdadeiras e exatas. Tais dados serão protegidos pelo Costa Leste News.

O cadastro dará ao usuário o direito de usar o espaço destinado a comentário.

O Costa Leste News registra o IP pelo qual o usuário acessou o sistema de comentários, para a eventualidade de precisar identificar o autor de um comentário.